UNIPAR - UM ESPAÇO PARA O SEU TALENTO

 
NOTÍCIA

Estética e Cosmética e Direito participam da Sipat do Senai

Publicado em: 26/05/2018 às 16:00

Professoras ministraram palestras sobre cuidados com a pele e Reforma Trabalhista

Professora Ariane Braniz fala sobre cuidados que devemos ter com a pele
Professora Ariane Braniz fala sobre cuidados que devemos ter com a pele
Professora Ariane Braniz fala sobre cuidados que devemos ter com a pele
Professora Solange Silva aborda o assunto Reforma Trabalhista
Professora Solange Silva aborda o assunto Reforma Trabalhista

A 3a Sipat (Semana Interna de Prevenção de Acidentes no Trabalho) do Senai contou com a participação da Universidade Paranaense - Unipar, Unidade de Toledo. Professores dos cursos de Estética e Cosmética e Direito ministraram palestras aos colaboradores do órgão (em 9 e 11/5).

A professora do curso de Estética e Cosmética, Ariane Braniz, tratou sobre os cuidados que devemos com pele. “A prática de exercícios físicos, alimentação saudável e a higiene do corpo são hábitos necessários à manutenção da saúde. Porém, a higiene pessoal também é um dos cuidados que devemos ter, tanto para proteger de bactérias e vírus, quanto para prevenção de algumas disfunções estéticas”, alerta a professora, ressaltando que a cada ano tem aumentado a preocupação das pessoas em adotarem os cuidados necessários para uma boa qualidade de vida.

Outro assunto tratado na Sipat foi Reforma Trabalhista, com a professora do curso de Direito, Solange Silva. Em sua fala, a advogada lembrou que o trabalhador precisa saber se as mudanças podem aprimorar ou reduzir os direitos já conquistados.

“As pessoas não estão bem informadas sobre o assunto. A informação é obtida através de uma mídia que prega a reforma trabalhista como meio importante para a retomada do crescimento da economia, aumentando a oferta de empregos. Na verdade, ela é direcionada para favorecer o empregador, pois retira dele obrigações e dificulta e amedronta o empregado na busca dos seus direitos, criando o risco de ele ser condenado a pagar custas periciais e honorários advocatícios”, afirma.

Redes sociais>