UNIPAR - UM ESPAÇO PARA O SEU TALENTO

 
OUVIDORIA TRABALHISTA

Acesso online:

Criar ou recuperar sua senha
NOTÍCIA

Acadêmico de Arquitetura se destaca no concurso ‘Pavilhão Toronto Canadá’

Publicado em: 28/03/2018 às 16:00

Emanuel Furlaneti conseguiu a 9ª colocação pela construção de ideia para um pavilhão sustentável

Acadêmico Emanuel Gustavo Furlaneti
Acadêmico Emanuel ao lado da coordenadora do curso de Arquitetura e Urbanismo, professora Tatiane Queiroz Bardi
Projeto de Emanuel apresentado no concurso
Projeto de Emanuel apresentado no concurso

Proposta do acadêmico de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade de Paranavaí, Emanuel Gustavo Furlaneti, se destacou em disputa nacional. Ele participou do concurso ‘Pavilhão Toronto Canadá’, organizado pela 44 Arquitetura, um gerador de conteúdo para o segmento da arquitetura, urbanismo, design e construção, e pela empresa canadense Skope Intercâmbio Cultural.

O projeto do acadêmico da Unipar ficou na nona colocação, no concurso que consiste em projetar um pavilhão que usa como referência de espaço a cidade de Toronto/Canadá, e apresentação, design e criatividade, funcionalidade e sustentabilidade como critérios para a avaliação.

As inscrições foram abertas apenas para estudantes de arquitetura e recém-formados. Não houve seleção para participar, sendo apenas necessária a inscrição no site oficial. Ao todo foram 418 propostas enviadas e vinte delas foram selecionadas para a fase final. A seleção ficou a cargo dos arquitetos César Elias, Daniel Corsi, Joel León e Marta Bogéa.

Emanuel conta que foi vantajoso participar do evento. “Acredito que participar de concursos é sempre uma experiência enriquecedora. Estudar e analisar o tema abordado me ajudou a adquirir experiência, tanto na parte técnica quanto nas questões sociais e culturais que envolveram a proposta final”, justifica.

Segundo ele, o ganho de conhecimento pela participação foi bastante compensador: “Precisei mergulhar profundamente em questões relacionadas à sustentabilidade, à cultura de Toronto e aprender técnicas novas de projeto, estudando programas mais complexos para poder expressar minha ideia, que podem ser usados nos meus futuros projetos”.

Mas não esconde a satisfação de ter conquistado tão boa colocação. “Isso acaba dando um peso maior para o currículo, ajudando no reconhecimento acadêmico e profissional”, orgulha-se. E aconselha: “Acho que os estudantes e profissionais de arquitetura deveriam voltar os olhos um pouco mais para concursos, por se tratar de uma área enriquecedora de conhecimentos”.

Redes sociais>