Publicada em: 10/12/2014 às 14:00

Cascavel: Alunos de Psicologia debatem ‘Idoso e família’ e ‘Psicologia da religião’

Temas complementares aos aplicados em sala de aula, psicóloga Sônia Lyra falou sobre a abordagem Junguiana e o geriatra João Batista Lima Filho apresentou o novo idoso

Do norte do Paraná, Cascavel recebe o gerontólogo João Batista Lima Filho

Do norte do Paraná, Cascavel recebe o gerontólogo João Batista Lima Filho

Via parceria de estágio entre o curso de Psicologia da Universidade Paranaense – Unipar e o Grupo de Convivência de Idosos do Sesc, este semestre, os estudantes receberam convite especial para palestra com o geriatra e gerontólogo doutor João Batista Lima Filho, que veio de Cornélio Procópio. O evento aconteceu no auditório da Unipar em Cascavel.

O médico abordou o tema ‘Idoso e família’, trazendo um pouco sobre quem são os novos idosos, geração anos dourados - revolucionando família, cultura e música, e os desafios - doenças e incapacidade. Entre as mudanças nessa perspectiva, afirma que as famílias contemporâneas caracterizam-se por vínculos afetivos e não consanguíneos.

Contextualizou ainda as mudanças nas relações familiares. Segundo estudo australiano de longevidade, o idoso necessita manter uma rede social ampliada para viver mais e melhor e, devido ao estresse e maus tratos na família, essa rede acaba saindo da parede doméstica e do consanguíneo.

Outra palestra diferenciada foi com a psicóloga doutora Sonia Lyra, de Curitiba, convidada pelo Centro Acadêmico do curso. O tema em destaque foi ‘Psicologia da religião’, tendo claro que a religião, além de ser um fenômeno sociológico ou histórico, é também um assunto importante para grande número de indivíduos. “Uma vez que o psicólogo trata da experiência religiosa primordial deve concentrar sua atenção no aspecto humano do problema religioso, abstraindo o que as confissões religiosas fizeram com ele”, analisa.

Ao tratar dessa experiência religiosa primordial, deve-se conhecer o conceito de inconsciente, que, para Jung, é como se fosse um filme, guarda tudo que a pessoa viu, pensou, cheirou, tocou, sentiu. Segundo a abordagem Junguiana, “há um exato momento em que acontece o trauma; quando a alma tem uma perda e sofre um abalo, é preciso encontrar a imagem e dialogar com ela, trazendo o inconsciente à consciência. A partir desse símbolo que se torna possível uma transformação psíquica repercutir no corpo”.

Contudo, Sonia frisa que para trabalhar com as emoções do outro o profissional não pode estar atolado em suas emoções.

Publicada em: 10/12/2014 às 11:12

Guaíra: Professor de Direito publica livro sobre Prescrição Intercorrente

Thiago Moreto Fiori, mestre em Direito Processual e Cidadania, contou com incentivo do renomado Luiz Rodrigues Wambier

Professor Fiori e Sandra Takahashi, Diretora da Unidade

Professor Fiori e Sandra Takahashi, Diretora da Unidade

Ainda repercute o sucesso do lançamento do livro do professor Thiago Moreto Fiori, da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade de Guaíra. Ele escreveu ‘Prescrição Intercorrente no Processo de Execução – Limitação temporal ao Processo sob a Égide Constitucional’. O evento foi prestigiado por alunos, professores e profissionais de Direito da cidade.

Fiori é mestre em Direito Processual e Cidadania, especialista em Direito Previdenciário e graduado em Direito pela Unipar. Na Instituição atua como professor das disciplinas de ‘Direito Internacional’, ‘Direito Constitucional’, ‘Ciências Políticas’, ‘Direito das Coisas’ e também atua como pesquisador, além de contribuir como RT do Serviço de Atendimento Judiciário Gratuito - SAJUG.

O livro lançado tem prefácio de Luiz Rodrigues Wambier, doutor em Direito pela PUC/SP. “Fiquei honrado com o convite para prefaciar esta publicação. É um trabalho de fôlego, com densa pesquisa, fruto de evidente profunda reflexão, e que trata de um tema relevantíssimo, com o qual os operadores do Direito sempre se encontram, nem sempre de modo satisfatório. Seu trabalho é primoroso e merecedor da atenção de todos operadores de Direito”, afirma Wambier, por e-mail.

“Fico muito feliz pela publicação. É uma soma de muito esforço, pesquisa e dedicação. Agradeço também todo o apoio que tive da família Unipar”, diz Fiori.

Publicada em: 09/12/2014 às 15:30

Toledo: Atletas da Atacar estão prontos para o 3º Pan-Americano em Cuba

Evento começa nesta terça e segue até domingo, em Havana; Quatro estão escalados, além do técnico e da psicóloga

Vão para Cuba defender o Brasil os atletas Leonardo Zuffo, Cintya Oliveira, Breno Johann e Denival Cândido, o técnico Fábio Bento e a psicóloga Elisa Mara Ribeiro

Vão para Cuba defender o Brasil os atletas Leonardo Zuffo, Cintya Oliveira, Breno Johann e Denival Cândido, o técnico Fábio Bento e a psicóloga Elisa Mara Ribeiro

Bastante expectativa para o 3º Pan-Americano de Parabadminton Championships 2014, que acontece nesta semana, na capital de Cuba, Havana. E para conquistar importantes resultados na competição, a seleção brasileira da categoria intensificou os treinos nas últimas semanas.

O técnico Fábio Bento e a psicóloga Elisa Mara Ribeiro, da equipe Atacar/Unipar/Toledo/Volvo/Oi/Prati-Donaduzzi, foram convocados para compor a equipe técnica brasileira de Parabadminton.

"Os atletas, que irão representar o Brasil, estão treinando duro e com foco para esta competição internacional. Teremos uma participação muito efetiva, pois somos o país com a maior delegação neste Pan-Americano”, destaca Fábio.

A psicóloga e o técnico ainda ressaltam a satisfação de integrar a equipe técnica da seleção brasileira de Parabadminton. “Nossa equipe multidisciplinar de Toledo tem muito a contribuir, pois já temos uma sintonia, onde todos se identificam na forma de trabalhar. Com certeza, faremos o possível para defendermos as cores da nossa bandeira e trazermos excelentes resultados de Cuba ao povo brasileiro”, afirma o técnico.

Entre os atletas que integram a seleção brasileira, quatro são da Atacar: Leonardo Zuffo, Cintya Oliveira, Breno Johann e Denival Cândido.

Pan-Americano

O Pan-Americano é sancionado pela Federação Mundial de Badminton (BWF) e organizado pela Federação Cubana de Badminton. A participação da seleção brasileira no campeonato ajuda a promover, divulgar e popularizar o parabadminton no Brasil, principalmente, agora que a modalidade esportiva foi escolhida como esporte paraolímpico.

O 3º Pan-Americano de Parabadminton Championships 2014 contará com a participação de 14 países, com equipes do Brasil, Canadá, Colômbia, El Salvador, Jamaica, Peru, República Dominicana, México, Argentina, Suriname, Venezuela, Guatemala, Chile e Cuba.

Publicada em: 09/12/2014 às 15:10

Cianorte: Universitários ensinam informática para alunos do CEEBJA

Projeto tem sua terceira edição consecutiva; foco é a capacitação dos estudantes em tarefas que dependem do computador

Nos laboratórios da Unipar, acadêmicos auxiliam os alunos do Ceebja

Nos laboratórios da Unipar, acadêmicos auxiliam os alunos do Ceebja

Com foco na propagação do conhecimento para a comunidade, o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Universidade Paranaense – Unipar e o Rotary Club Cinturão Verde de Cianorte promoveram aulas de informática básica para estudantes do Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (CEEBJA).

Com a participação de vários estagiários, o curso visa à capacitação em informática básica e atende alunos que não possuem conhecimento algum em informática. O objetivo é capacitá-los nas atividades profissionais básicas que requerem utilização de aplicativos, sistema operacional, editor de texto, planilha eletrônica e internet.

“É sempre importante realizar projetos como este, de cunho social. Os nossos acadêmicos se empenham bastante, gerando importantes experiências para si próprios e também para as pessoas atendidas, pois todas necessitam deste aprendizado”, ressalta a coordenadora do curso, professora Sueli Poppi Borba.

Essa é a terceira turma consecutiva que o projeto atende. Segundo a diretora do CEEBJA, professora Zenita, “é uma oportunidade única para nossos alunos e o papel social do curso de Análise é fundamental, pois são alunos que não teriam a oportunidade de ter um aprendizado similar”, comenta.

Publicada em: 09/12/2014 às 14:45

Umuarama: Ex-alunas de Ciências Contábeis se destacam na profissão

Romi Regioli Rocha trabalha no Instituto Ambiental do Paraná e Fabiane Basseto na multinacional Kuhn Montana

Fabiane Basseto, que é controller da multinacional Kuhn Montana

Fabiane Basseto, que é controller da multinacional Kuhn Montana

Conquistar espaço no mercado de trabalho, fazendo valer a formação acadêmica com um bom emprego. Foram estes preceitos que guiaram Romi Regioli Rocha e Fabiane Basseto, ex-alunas do curso de Ciências Contábeis da Universidade Paranaense – Unipar, Câmpus-Sede, na busca de um posto de trabalho em grandes empresas.

“Em 1986 surgiu a oportunidade de fazer teste no ITCF (Instituto de Terras e Cartografia e Florestas), que a partir de 1992 passou a se chamar IAP (Instituto Ambiental do Paraná). Fui aprovada e já estou lá há 28 anos”, conta Romi. No órgão público, depois de passar por vários setores, a ex-aluna exerce atualmente o cargo de agente profissional de nível superior. Mas, para chegar até aqui, o caminho não foi fácil. Ela teve que buscar capacitação.

“Por estar trabalhando na área do meio ambiente queria me aperfeiçoar em Auditoria e Contabilidade Ambiental. Então, em 1997 começei a cursar Ciências Contábeis na Unipar. Foram cinco anos de muito estudo e dedicação”, afirma a agente do IAP.

A busca por aprendizado não parou por aí. Depois da graduação, ela fez especialização em Planejamento e Gestão Ambiental pela Unipar de Paranavaí e dois cursos de Auditoria Ambiental, um pela Universidade Luterana Livre e o outro pela UEM. “Queria mais. Em 2011, concluí a graduação de Direito, também pela Unipar. O curso me ajudou a entender melhor as questões jurídicas relacionadas ao meio ambiente”.

Sobre a Unipar, a ex-aluna é categórica. “A Instituição é dotada de uma excelente estrutura física e de um corpo docente preparado. Basta haver disciplina do estudante e dedicação às aulas e aos projetos do curso para se dar bem. Portanto, a Unipar foi essencial na minha trajetória”.

Outra que também trilhou um caminho de sucesso foi Fabiane Basseto. Formada em Administração e Ciências Contábeis pela Unipar, ela já trabalhou nas empresas Zaeli e Averama. Há dois anos foi convidada para ser coordenadora de Controladoria da multinacional Kuhn Montana, localizada em São José dos Pinhais/PR. A competência no cargo a levou longe. Hoje ocupa a função de controller da empresa. “O mérito não é só meu. Os sete anos que fiquei na Unipar, somados à especialização em Controladoria que cursei, me conduziram a oportunidades que determinaram as conquistas profissionais que tenho hoje”.

A ex-aluna ainda faz questão de ressaltar os atributos do curso de Ciências Contábeis. “A estrutura da graduação, os professores e os projetos de pesquisa e extensão me deram uma gama de conhecimentos que aplico até hoje no meu dia a dia. Por isso sinto orgulho em dizer às pessoas com quem convivo onde estudei e o que contribuiu para o meu crescimento pessoal e profissional”.

O coordenador do curso de Ciências Contábeis, professor Clóvis Uliana, afirma que “este contato com ex-alunos do curso é importante para mantermos vínculo, uma vez que o testemunho destes é fundamental para análise da formação que o curso oferece. Esta integração nos proporciona subsídios não só da sua gestão profissional, mas também da busca pela qualificação continuada”.