Publicada em: 03/10/2014 às 14:12

Umuarama: Curso de Enfermagem firma parceria com a Ong União pela Vida

Grupo de vinte estudandes está sendo capacitado para desenvolver nas comunidades ações de enfrentamento da Aids

Futuros enfermeiros participam da oficina de capacitação

Futuros enfermeiros participam da oficina de capacitação

O curso de Enfermagem da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade de Umuarama, firmou recentemente uma parceria com a ong União Pela Vida, criada há 14 anos com objetivo de amparar, auxiliar e defender pessoas portadoras do vírus HIV/Aids. Por meio do projeto ‘Ação de Prevenção’, um grupo de 20 graduandos está sendo capacitado para ações que visam despertar na população o enfrentamento da epidemia.

“Nosso propósito é formar dentro das comunidades agentes multiplicadores, incentivando-os a desenvolver trabalhos em parceria com os serviços de assistência social que o munícipio oferece, possibilitando a promoção da saúde e a prevenção da doença”, explica a coordenacora do curso, professora Maristela Azevedo.

Ela ressalta que o projeto terá duração de dois anos e as oficinas já começaram. “No primeiro ano, uma vez por semana, os alunos se encontram com representantes da Ong, que repassam todas as informações necessárias para as ações. No segundo ano, eles sairão a campo para sensibilizar grupos de pessoas”.

Coordenado por Ednael Frotta, o projeto também tem a finalidade de promover ações de enfrentamento da violação de direito humanos, violência, estigma, discriminação e preconceitos vinculados às pessoas que vivem e convivem com o vírus HIV.

“Parcerias como essa são de extrema importância no trabalho que desenvolvemos. Ela vem ampliar a divulgação das informações e a multiplicação de pessoas habilitadas quanto ao conhecimento sobre legislação e procedimentos que visem à garantia dos direitos, objetivando o exercício da cidadania e dando clamor e visibilidade à população excluída”, afirma Frotta.

Publicada em: 02/10/2014 às 17:02

Dia do Idoso: Farmácia leva serviços e diversão ao Lar São Vicente de Paulo

Estudantes aferiram pressão arterial e fizeram teste de glicemia nos mais de 90 idosos atendidos pela entidade

Estudante afere pressão arterial de idoso

Estudante afere pressão arterial de idoso

Em comemoração ao Dia Internacional do Idoso, celebrado no dia 1º de outubro, os idosos atendidos pelo Lar São Vicente de Paulo foram agraciados com um dia repleto de atividades de saúde, lazer e recreação. Um grupo de acadêmicos do curso de Farmácia da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade–Sede, levou serviços, orientações e carinho ao grupo da terceira idade.

Orientados por professores, os futuros farmacêuticos fizeram teste de glicemia e aferiram a pressão arterial dos mais de 90 idosos da entidade. “Com os resultados dos exames é possível acompanhar melhor aqueles que precisam de mais cuidados”, explica a supervisora do CRF/PR (Conselho Regional de Farmácia), Gilianny Rocatto, que acompanhou o trabalho dos alunos.

Para o acadêmico André Moraes, ações como esta aproximam os alunos da comunidade. “É muito bom contribuir para a melhora da qualidade vida, além de poder doar carinho, atenção e passar alguns momentos com eles, aprendendo com suas historias de vida”.

Descontração e diversão também não faltaram na atividade. Ao som de violão, os estudantes cantaram e brincaram com os idosos. Com apoio de profissionais do Senac e Unimed, a ação social celebrou também o Dia Internacional do Farmacêutico, comemorado no dia 25 de setembro.

Publicada em: 02/10/2014 às 15:40

Guaíra: Em Curitiba, estudantes visitam Unidade da operadora Oi

Grupo conheceu toda a estrutura e os sistemas operacionais da Cyber Data Center

Professores e estudantes na sede da Cyber Data Center

Professores e estudantes na sede da Cyber Data Center

Recentemente, acadêmicos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade Guaíra, foram até Curitiba, onde visitaram a CyDC (Cyber Data Center), da operadora de telefonia Brasil Telecom, administrada pela Oi. Acompanhados dos professores André Roberto Guerra e Luciana Palinkas (coordenadora), o grupo conheceu toda a estrutura e os sistemas operacionais da empresa (em 22/09).

“CyDC é uma unidade de negócios da operadora, que oferece soluções completas e seguras em Data Center. Possui uma infraestrutura descentralizada e interligada por redes de alta velocidade, com serviços especializados de TI (Tecnologia da Informação) de alto valor, os quais têm qualidade, solidez e confiabilidade” explica a coordenadora, ressaltando que “a visita técnica foi uma oportunidade de visualizar boa parte do que eles aprenderam em sala de aula”.

Aos visitantes, o analista e gerente da unidade, Silvio Antônio Rodachinski, explicou sobre as tecnologias utilizadas na edificação. “Os acadêmicos puderam observar como funciona e como são empregadas as mais diversas tecnologias utilizadas neste edifício, onde estão instalados supercomputadores e servidores das empresas que contratam os serviços de comunicação on-line de dados e informações”, destaca o professor Guerra.

Lá o grupo conheceu também exemplos reais de uso dos tópicos abordados em sala de aula, relacionados às aplicações de estruturas físicas e lógicas, elétricas e de dados existentes. “São conhecimentos importantes no que tange à segurança dos dados, tanto física, quanto lógica” arremata o docente.

Publicada em: 02/10/2014 às 14:50

Paranavaí: Responsabilidade social do farmacêutico é tema de palestra

Para proferir foi convidada a filósofa e professora doutora Tânia Conceição Iglesias

Em palestra, professora Tânia Conceição Iglesias

Em palestra, professora Tânia Conceição Iglesias

A interação com outros profissionais possibilita troca de conhecimentos e sabedorias de extrema importância para o aprendizado acadêmico. Partindo desta premissa, o curso de Farmácia da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade de Paranavaí, convidou a filósofa e professora doutora Tânia Conceição Iglesias para compartilhar um pouco de suas experiências com graduandos da 5ª série. Em palestra, a profissional discutiu sobre responsabilidade social do farmacêutico.

“A ética na ação humana refere-se ao ‘fazer’ e ‘agir’ de forma interligada. O fazer diz respeito à competência, à eficiência que todo profissional deve possuir para exercer bem a sua profissão. O agir, leva à conduta do profissional, ao conjunto de atitudes que deve assumir no desempenho de sua profissão, com responsabilidade social perante a comunidade ao qual está inserido” ressalta a palestrante.

Ela acrescenta ainda que a atuação de um profissional deve ser pautada pela integridade, confiança e lealdade, bem como pelo respeito e valorização ao ser humano, vivendo numa dimensão ética que diretamente vai influenciar na sua imagem perante à comunidade e ao mercado de trabalho.

“É essencial este aprendizado, pois percebemos que atualmente a ética vive uma crise mundial. Portanto, é de extrema importância trazer essas reflexões, sensibilizar os jovens para assuntos que são do nosso dia a dia, fazendo com que despertem e saiam um pouco do senso comum para terem mais senso crítico e consigam na vida profissional um comportamento mais adequado ao ambiente de trabalho”, enfatiza o professor Romir Rodrigues, que ministra a disciplina a disciplina Deontologia e Administração Farmacêutica.

Publicada em: 02/10/2014 às 11:00

Umuarama: Professor de Arquitetura ensina como podar árvores

Demonstração aconteceu durante Congresso Paranaense sobre Conforto e Acessibilidade no Meio Urbano

Docente explica que árvore com formação irregular atrapalha  mobilidade das pessoas

Docente explica que árvore com formação irregular atrapalha mobilidade das pessoas

Muitas cidades paranaenses, assim como Umuarama, são reconhecidas como as mais verdes do Brasil. No entanto, as mesmas árvores que oferecem a tão refrescante sombra aos moradores, também são motivo de preocupação quando o assunto é acessibilidade e conforto. Pois muitas vezes o plantio de mudas é feito sem planejamento e estudo adequado das espécies, comprometendo o meio urbano.

Recentemente, durante o Congresso Paranaense sobre Conforto e Acessibilidade no Meio Urbano, realizado em Umuarama, foi realizada uma demonstração de podas de árvores. A instrução aconteceu na Rua Lions, ao lado do Clube Português, e contou com a explicação prática do agrônomo e doutor em Arquitetura, professor Alexandre Hulsmeeyer, da Universidade Paranaense - Unipar.

“A árvore é um elemento indispensável no conforto, mas às vezes as pessoas se enganam, achando que ela e a calçada não têm importância. Entretanto, em termos de escala, a calçada é o local que mais recebe árvores, por isso é preciso uma compatibilização”, explica o professor.

De acordo com o docente, as árvores têm que estar na calçada, mas de uma forma que não impeçam o fluxo das pessoas. “Quando a árvore não recebe uma formação adequada, ela acaba se transformando num arbusto. Então, é necessária a poda, que pode ser feita com uma tesoura simples de jardinagem. E, quando isso não é feito na fase inicial da planta, obrigatoriamente terá que ocorrer após cinco anos, quando o problema estará multiplicado por dez, com o uso de moto-serra e caminhão”, alerta.

O professor ressalta ainda que as pessoas acreditam que irão estragar a árvore ao podarem e que por ela apresentar uma copa quando ainda pequena, essa formação seguirá no crescimento, ou ainda que algumas variedades não sevem para plantio urbano.

“As árvores não crescem de baixo para cima, mas das pontas para cima. Então, os galhos baixos permanecerão baixos a vida inteira, com a diferença que vão engrossar”. Para as pessoas que assistiram à demonstração até pareceu que o ato da poda foi radical, mas é a forma adequada. “É importante que a árvore se forme adequadamente, a sua formação irregular atrapalha até mesmo a mobilidade de pessoas com necessidades especiais”, argumenta o arquiteto.