UNIPAR - UM ESPAÇO PARA O SEU TALENTO

NOTÍCIA

TCC de egressa da Unipar pode inspirar obra pública em Coronel Vivida

Publicado em: 22/05/2020 às 15:00

Projeto da arquiteta Maikieli Bussolaro para novo centro cívico prevê áreas de cidadania, lazer e interação social

A arquiteta Maikieli Bussolaro apresenta seu projeto para o prefeito Frank Schiavini
A arquiteta Maikieli Bussolaro com o prefeito Frank Schiavini e assessores
A arquiteta Maikieli Bussolaro e o projeto que concorre ao Ópera Prima deste ano
Maquete do projeto da arquiteta Maikieli Bussolaro
Maquete do projeto da arquiteta Maikieli Bussolaro
Maquete do projeto da arquiteta Maikieli Bussolaro
Maquete do projeto da arquiteta Maikieli Bussolaro
Em dia de formatura, Maikieli e a professora Adriana
2019: Em dia de banca, Maikieli e a professora Adriana
2019: Em dia de banca, Maikieli e a professora Adriana
2017: Em dia de banca, Talini e a professora Adriana
2016: Em dia de banca, Telmo e professoras
2016: Em dia de banca, Maicon e professoras
2015: Em dia de banca, Cássio e a professora Adriana

Um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da arquiteta Maikieli Bussolaro, egressa do curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Paranaense – Unipar, Unidade de Francisco Beltrão, prevê um novo espaço público e administrativo para o município de Coronel Vivida. O estudo foi apresentado ao prefeito Frank Schiavini, que gostou muito da ideia.

Segundo ela, um dos primeiros motivos que a levaram a desenvolver este projeto é a carência por espaços públicos de qualidade, que permitem a integração da população, como influência para a criação de uma identidade para a prática da cidadania, do lazer e da interação social.

O projeto foi inscrito no concurso nacional Ópera Prima deste ano e está entre os indicados para o prêmio. A arquiteta explica que a implantação das edificações segue a orientação solar e a topografia do terreno. Com composição subtrativa de volumes em nível térreo, e aditiva para os pavimentos seguintes, permite uma área maior de circulação de pessoas da cidade e visitantes.

Ela também destaca as várias estratégias bioclimáticas que empregou no projeto, como o uso de elementos de proteção nas fachadas, vertical e horizontal, com brises móveis de madeira e jardins.

Captação da água da chuva e sanitários que reduzem até 30% do consumo e reutilizam água das cisternas são outros destaques, bem como o emprego de painéis solares fotovoltaicos, com capacidade de gerar toda a energia consumida. Fazem parte da concepção da obra jardins de inverno, espelhos d’água, vidro duplo nas fachadas e vegetação, que atuam na conservação da biodiversidade e na criação de um microclima local.

 

Concurso Ópera Prima
O projeto da jovem arquiteta também foi indicado pela Universidade Paranaense para concorrer ao prêmio Ópera Prima 2020, que está em sua 30ª edição. A professora Adriana Kunen, que orientou a egressa, disse que o trabalho se destaca em pesquisa, em referências e em inovação.

“Quando temos casos assim, de trabalhos de excelência, é uma honra para a Universidade Paranaense poder competir com a FAU-USP, Mackenzie, PUC e outras tantas importantes instituições de ensino superior”, elogia.

Mas a arquiteta Maikieli não é a primeira a orgulhar a professora. Adriana conta que a primeira turma (2015) do curso de Arquitetura e Urbanismo da Unipar em Francisco Beltrão teve também indicação do aluno, hoje arquiteto, Cássio Henrique Marcon Pastre, com o projeto ‘Centro cultural e histórico do vinho’, para a cidade de Mariópolis/PR.

Cássio atua na cidade de Francisco Beltrão. Ele e Daniely Coelho, também egresso da Unipar, são sócios-proprietários da Arcon - Arquitetura e Construtora, que agora recebe também Maikieli na sociedade. 

Em 2016 mais dois acadêmicos orientados pela professora Adriana levaram o nome da Unipar para o Ópera Prima: o arquiteto Maicon de Oliveira, com o projeto ‘Nova unidade do Serviço Social do Comércio (SESC) na cidade de Francisco Beltrão’, e o arquiteto Telmo Cioatto, com o projeto ‘Centro Cívico para Francisco Beltrão’.

“Atualmente Maicon está desenvolvendo junto à equipe de arquitetos da Secretaria de Planejamento da Prefeitura de Francisco Beltrão o novo Centro Cívico da cidade, no mesmo terreno em que desenvolveu seu TCC”, conta a professora.

E tem mais: em 2017 foi a vez da acadêmica Talini Maria Sebben dar essa honra à Unipar, com o projeto de uma aduana turística, proposta para integrar Brasil e Argentina, nas cidades fronteiriças de Santo Antônio do Sudoeste-PR e San Antonio, Missiones.

“Quando o trabalho é indicado ao Ópera Prima, dá para levar para a vida afora a felicidade de concluir o curso com tal honraria. É como um Nobel que o graduando conquista”, salienta a professora, avisando que, devido à pandemia de covid-19, o concurso Ópera Prima está atrasado e talvez só aconteça em outubro.

Redes sociais>

Horário de Atendimento

Seg. à sex. das 11h28 às 17h48
Sáb. das 08h30 às 12h50
Ou ligue: 0800 601 4031