UNIPAR - UM ESPAÇO PARA O SEU TALENTO

NOTÍCIA

Projeto do Cejusc e Unipar protege filhos em conflitos de ruptura familiar

Publicado em: 14/11/2018 às 15:00

‘Oficina de Pais’ reúne famílias com processos judiciais em andamento e vem alcançando ótimos resultados

A advogada Luceli Donatti, da Unipar, com Laíza Zanatta Crestani

Desde 2015, a Universidade Paranaense – Unipar e o Centro Judiciário de Resolução de Conflitos e Cidadania (Cejusc), com apoio da Vara de Família da Comarca de Francisco Beltrão, desenvolvem ‘Oficinas de Pais’.

O objetivo é transmitir aos participantes informações e esclarecimentos sobre a necessidade de continuidade das relações parentais após a ruptura conjugal. O projeto visa a valorizar a coparentalidade, com a criação de um espaço seguro e confiável à compreensão das diferenças entre conjugalidade e parentalidade.

Desta forma, os coordenadores do projeto buscam facilitar a aceitação de novos arranjos familiares, servindo de ferramenta à resolução dos conflitos pelos quais atravessam, sem a necessidade de intervenção de terceiros.

Podem participar das oficinas famílias com processos judiciais em andamento, que envolvam demandas referentes à guarda, exercício do direito de convivência e alimentos, bem como ações relativas a divórcio e dissolução de união estável, quando interesses de crianças e adolescentes estejam envolvidos.

Também podem ser direcionadas ao projeto pais que não possuem demanda judicial, mas que buscam alternativas no cuidado com os filhos no momento da convivência separada.

Para a servidora do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), Laíza Zanatta Crestani, o projeto é interessante por conscientizar os pais em relação à importância de proteger aqueles que mais precisam de cuidado no momento do conflito: os filhos. “Estes ficam muitas vezes esquecidos enquanto se discute quem está certo ou errado, sob o ponto de vista jurídico”, afirma.

No âmbito do Poder Judiciário, é bastante perceptível a diferença na fala e nas atitudes das partes que participam da ‘Oficina de Pais’. “Isso porque a ‘Oficina de Pais’ é pensada para ser o primeiro ato do processo nas demandas afetas ao Direito de Família, antes mesmo da audiência de conciliação; assim, as partes conseguem conversar melhor durante a audiência”, explica Laíza.

Segundo ela, o acordo não é o objetivo principal do projeto, mas é salutar: “Quando há o comparecimento de ambas as partes na ‘Oficina de Pais’, o acordo é alcançado em quase cem por cento dos casos”, destaca.

De acordo com Luceli Donatti, responsável técnica do Cejusc-Unipar, o projeto proporciona aos alunos da graduação o contato direto com a prática da Justiça Restaurativa, além de prestar um relevante serviço social.

“Trata-se de uma importante ferramenta na promoção da cultura de pacificação social proposta pelo Judiciário, na medida em que estimula o diálogo entre as partes envolvidas no conflito e, consequentemente, devolve a elas a autonomia para decidir o que é melhor para os filhos”. 

As oficinas acontecem nas duas últimas quartas-feiras de cada mês, no período vespertino, com duração aproximada de quatro horas, na Unipar.

Redes sociais>

Horário de Atendimento

Seg. à sex. das 8h às 20h
Sab. das 8h às 12h