UNIPAR - UM ESPAÇO PARA O SEU TALENTO

NOTÍCIA

Umuarama: Engenharia Agronômica apoia projeto Fazendinha

Publicado em: 22/03/2011 às 15:55

Atividade realizada pela Emater na Expo conscientizou sobre a aplicação correta de agrotóxicos

Crianças observam explicação do professor Rone Batista durante exposição
Agricultores também visitaram o espaço
A coordenadora, professora Glaciela Kaschuck recebe crianças durante exposição

Em conexão com as atividades da Diretoria Executiva de Gestão da Cultura e Divulgação Institucional (DEGCD) da Universidade Paranaense – Unipar, Campus Umuarama, na Expo Umuarama 2011, o curso de Engenharia Agronômica, sob coordenação da professora Glaciela Kaschuck, participou do ‘Projeto Fazendinha’ da Emater.

Os estudantes explicaram aos visitantes a importância da aplicação de técnicas corretas nas atividades agrícolas para o uso sustentável do meio ambiente. “Explicaram, por exemplo, a importância de usar o equipamento de proteção individual para aplicação de agrotóxicos, a calibragem dos bicos de pulverização e a escolha do melhor método de aplicação”, explica a professora Glaciela Kaschuck.

Para exposição, eles ainda montaram um cenário com elementos da produção agrícola, fotografias, cartazes, maquete sobre pastagem e reflorestamento de eucalipto e manequim utilizando equipamento de segurança individual (EPI).

Segundo ela, além da divulgação do curso, a atividade também objetivou mostrar os principais aspectos da agricultura da região, como a produção de cana-de-açúcar e a pecuária, com produção integrada de eucalipto e conscientizar o público sobre a aplicação correta de agrotóxicos, “inclusive demonstrando a importância do uso do equipamento de segurança individual”, informa.

A professora explica que os estudantes das escolas primárias de Umuarama e região foram o principal público, mas estudantes universitários, técnicos e agricultores também compareceram à exposição. “Alguns ex-agricultores, ao notarem o manequim que usava o EPI para aplicação de agrotóxicos, testemunharam emocionados os próprios dramas das intoxicações sofridas na juventude”, comenta Glaciela Kaschuk.

O professor doutor em Agricultura de Precisão, Rone Batista de Oliveira, ratifica a fala da professora. “Muitas vezes a sociedade condena os agrotóxicos como vilões do meio ambiente, mas não percebem que muitos dos acidentes são provocados porque o produtor não usa as técnicas adequadas de aplicação”.

A conscientização sobre as técnicas adequadas de aplicação de agrotóxicos precisa ser levada a sério em nossa região, alerta. “Nós constatamos isso ao perceber que poucas casas agropecuárias de Umuarama têm o EPI disponível para venda”.

A estudante do primeiro ano do curso, Claudimara Segura, foi uma das expositoras e considera a participação fundamental para sua formação. “Participar de eventos dessa natureza é muito importante para confrontar a teoria dada em sala de aula com as práticas do agricultor”, diz.

Redes sociais>

Horário de Atendimento

Seg. à sex. das 8h às 20h
Sab. das 8h às 12h