UNIPAR - UM ESPAÇO PARA O SEU TALENTO

 

0800 601 4031

NOTÍCIA

Umuarama: Estudo com biofilme é destaque no encontro científico da Unipar

Publicado em: 03/01/2011 às 11:30

O trabalho compõe projeto de pesquisa que estuda utilização de biofilme para aumento do tempo nas prateleiras de frutas, verduras e legumes

Andressa Martin e Douglas Dragunski: pesquisa testa biofilmes para absorção de etileno
Estudante e professor exibem certificado: destaque no 9º Encontro de Iniciação Científica da Unipar
Andressa Martin: pesquisa objetiva aumento do tempo dos alimentos nas prateleiras
Andressa Martin posa em frente ao banner de seu trabalho
Para participação na SBQSUL, Andressa Martin viajou acompanhada de colegas de curso e mestrado

Andressa Amado Martin se prepara para começar o segundo ano do curso de Química (licenciatura) da Universidade Paranaense – Unipar, Campus Umuarama, e já mostra que veio com muita vontade de aprender. Ela se declara apaixonada pela escolha profissional que fez e já trilha os primeiros passos para uma carreira de sucesso.

Por meio do Pebic (Programa Externo de Bolsa de Iniciação Científica) a estudantes participa do projeto de pesquisa ‘Utilização de filmes biodegradáveis a base de amido de mandioca e gelatina para recobrimento da maçã’. Orientada pelo professor doutor Douglas Dragusnki, ela estuda a utilização de biofilmes para absorver etileno e aumentar o tempo dos alimentos nas prateleiras dos supermercados. Os testes são realizados em maçãs da espécie ‘gala’.

“O etileno é um gás produzido pela fruta e que favorece o amadurecimento rápido, o que pode levar a perda do alimento em pouco tempo. O objetivo é revesti-lo com este biofilme e, assim, aumentar o seu o tempo de duração nas prateleiras”, explica o professor Douglas Dragusnki.

Além de Andressa Martin, o estudo ainda conta com a participação dos co-autores Jennifer Teodoro, estudante de Tecnologia em Alimentos da UEM e que desenvolve estágio na Unipar, Maurício José Franco, Leandro Ferreira Bonfim Junior, Mayara de Andrade, ambos da Unipar, e do próprio professor.

O trabalho é ligado ao estudo desenvolvido pelo mestrando Mauricio Franco, o qual recebeu destaque na 33ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Química. Com a colaboração de Andressa Martin, o estudante realizou os mesmos testes em morangos. “O biofilme é biodegradável e comestível, além de dispensar o uso de embalagens plásticas”, informa Dragusnki.

Os estudos e esforços da estudante renderam destaque no 9º Encontro de Iniciação Científica da Unipar e 9º Fórum de pesquisa. O estudo ficou entre os dezessete melhores trabalhos. “No momento em que recebemos o prêmio, lembrei, desde o início, de todo o processo. É um trabalho árduo, mas muito gratificante,” declarou a estudante.

Quanto à apresentação do trabalho no Encontro, ela confidencia que foi uma experiência importante. “Fiquei feliz, pois é um trabalho que favorece a sociedade e a mim como estudante, além de poder adentrar o campo da pesquisa”.

De acordo com o professor, a intenção agora é inserir mais dois produtos para que os biofilmes fiquem com ação antimicrobiana. “As substâncias são naturais e aumentarão os efeitos do biofilme.

Na SBQSUL 2010, em Curitiba

Andressa Martin viajou acompanhada dos estudantes de Química e Química Industrial, Leandro Ferreira Bonfim Júnior, Juliana Casarin, Kristiany Moreira Diniz, Gislaine Passarela Gerola, Bruna Camila Almeida Gabaron e dos mestrandos em Biotecnologia Aplicada a Agricultura, Naiza Vilas Boas e Maurício José Franco, até Curitiba/PR para participar do 18º Encontro de Química da Região Sul (SBQSUL) 2010 (entre 11 e 13/11).

Na oportunidade, o grupo apresentou os estudos que estão desenvolvendo sob orientação do professor doutor Douglas Dragunski. Andressa apresentou o trabalho intitulado ‘Conservação de frutos minimamente processados (maçã) utilizando filmes à base de amidos de mandioca’.

“É de grande importância e satisfação poder apresentar este estudo em um evento como a SBQSUL. É um encontro que reúne trabalhos, alunos, professores e pesquisadores de todo o sul do país. Esta participação acrescenta muito na minha formação acadêmica, bem como no meu futuro profissional”, ressaltou a estudante.

Redes sociais>